Área do Cliente

Um projeto social está instalando sistemas de geração de energia solar fotovoltaica em reservas extrativistas no estado do Amazonas. Chamado de Projeto Resex Produtoras de Energia Limpa, a iniciativa deu-se por meio de uma parceria iniciada em 2016 entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do governo, e a ONG World Wide Fund for Nature (WWF), que agora instalou mais quatro sistemas de geração de energia limpa por meio da luz solar a comunidades amazonenses isoladas e que dependiam de combustíveis fósseis para obter energia.

Em setembro foram instalados painéis solares em reservas extrativistas localizada no município de Lábrea, chamadas de Ituxi e Médio Purus. A escolha dos sistemas de geração de eletricidade por meio da energia solar fotovoltaica para uso produtivo foi feita pelas próprias associações extrativistas, de acordo com comunicado do Portal Brasil. A meta da parceria entre o ICMBio e o WWF é ampliar o acesso à energia limpa e sustentável, visando a redução do uso de óleo diesel e gasolina como combustíveis dos geradores, além do aumento de renda e qualidade de vida a populações no sul do Amazonas.

Parte dos equipamentos utilizados na instalação dos sistemas fotovoltaicos, como módulos, conversores e inversores, foi recebido de doação do Ministério de Minas e Energia (MME), por meio do extinto Programa de Desenvolvimento Energético dos Estados e Municípios (Prodeem). Muitos desses equipamentos estavam guardados e sem uso há quase 20 anos na usina de Furnas, no Rio de Janeiro, segundo informações do WWF. Foram necessárias algumas adaptações para a instalação dos sistemas de geração de energia solar fotovoltaica, que deverão produzir até 35 quilowatts (kW) de eletricidade.

De acordo com a analista de conservação do WWF-Brasil, Alessandra Mathyas, o equipamento funcionou bem, com apenas algumas adaptações, o que mostra a durabilidade desses materiais e a importância do projeto. Segundo ela, o que antes estava guardado e não podia ser utilizado pelo Programa Luz para Todos, agora será a fonte renovável que impulsionará a produção sustentável extrativista no Amazonas. O projeto contou também com apoio do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, que auxiliou na capacitação dos moradores para instalação e manutenção dos painéis solares, da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) – campus Lábrea – e da prefeitura local.

Reservas

Na reserva extrativista Ituxi, na comunidade Volta do Bucho, foram instalados três sistemas: um para bombeamento de água de poço, outro para refrigeração dos alimentos e o terceiro para o uso de equipamentos produtivos. Tendo a extração do açaí como potencial atividade produtiva e econômica, a primeira máquina a funcionar alimentada pela energia solar fotovoltaica gerada foi a despolpadeira. A energia solar também será responsável por levar maior qualidade de vida e saúde à comunidade, pois auxiliará os agentes de saúde no controle da malária, permitindo o uso de equipamentos médicos diretamente no local.

Já na reserva extrativista Médio Purus, onde vivem mais de 5.500 pessoas, foi instalado um segundo sistema de geração de energia solar fotovoltaica, dessa vez para bombeamento de água do rio, que leva água a uma caixa d’água de uso coletivo. Dessa maneira, a fonte solar torna-se uma grande aliada na geração de energia elétrica para comunidades mais distantes dos grandes centros, garantindo acesso à luz, consequentemente, aumentando a qualidade de vida da população dessas regiões.

Fontes: ‘http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2017/09/reservas-extrativistas-no-amazonas-terao-sistema-de-energia-solar’

‘http://www.wwf.org.br/informacoes/noticias_meio_ambiente_e_natureza/?uNewsID=61042’

‘http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/9028-energia-solar-ilumina-uc-na-amazonia’

‘http://www.ccst.inpe.br/wwf-leva-energia-solar-fotovoltaica-para-resex-no-sul-do-amazonas/’

‘http://www.icmbio.gov.br/portal/resex-ituxi’

Fonte da imagem: ‘http://d3nehc6yl9qzo4.cloudfront.net/img/original/img_0834.jpg’

Compartilhe: