Área do Cliente

A Agência Internacional de Energia (IEA, sigla em inglês) elevou a projeção de crescimento das fontes de energia renováveis para 28% da produção mundial de eletricidade em 2021. O estudo é parte do Medium-Term Renewable Market Report (Relatório de Médio Prazo do Mercado Renovável) e avaliou que nos próximos cinco anos serão instalados 825 gigawatts (GW) em todo o mundo, um aumento de 42% em comparação com 2015, valor 13% maior do que as previsões anteriores da Agência. O prognóstico otimista para diversificação das matrizes energéticas deve-se ao crescimento do investimento financeiro e metas de diversos países para diminuição da emissão de gases poluentes na atmosfera.

Os custos com energia solar fotovoltaica devem reduzir em 25% e os da energia eólica em 15%, e essas duas fontes irão representar 75% das novas capacidades instaladas, de acordo com o relatório. A AIE reportou que a capacidade instalada renovável atingiu 153 GW no ano passado, por conta do acréscimo de 63 GW de fonte eólica e 49 GW de energia solar fotovoltaica.

Os Estados Unidos, China, Índia e México são apontados como países de maior potencial de crescimento para energia renovável. Sozinhos, os EUA representam quase metade do percentual da revisão nas projeções feitas pela Agência, por causa da renovação de determinados incentivos fiscais. Todavia, A China irá liderar a expansão da geração renovável de eletricidade, com mais de 40% de crescimento, ou seja, mais de um terço da capacidade acumulada de energia eólica e solar fotovoltaica será chinesa.

Outro ponto de destaque do relatório da AIE é a perspectiva menos favorável às demais fontes de energia renovável. A previsão é a construção de menos hidrelétricas, principalmente no Brasil. Deverão crescer a um ritmo mais lento a biomassa, energia geotérmica e marítimas.

Brics

O grupo de países emergentes, formado por Brasil, Rússia, Índia e China, deverá investir US$ 177 bilhões para atingir as metas do Acordo de Paris para a redução da emissão de gases poluentes e controle do aumento da temperatura global. Essa informação é do Instituto de Economia e Análise Financeira de Energia (IEEFA) que diz ser necessário injetar 498 GW de energia renovável para cumprir a meta dos Brics.

O órgão afirma que instituições financeiras púbicas deverão arcar com cerca de US$ 10 bilhões anuais. Um exemplo delas seria o New Development Bank (NDB), um banco de desenvolvimento criado pelos próprios países integrantes do Bric. O IEEFA aponta que o NDB planeja aumentar a carteira de crédito em aproximadamente US$ 1,2 bilhão ao ano durante os próximos três anos.

Fontes:

http://www.dci.com.br/industria/iea-eleva-projecao-de-crescimento-de-energias-renovaveis-no-mundo-id583003.html

https://cleantechnica.com/2016/10/25/iea-increases-renewable-energy-projections-13-set-grow-825-gw-2021/

http://exame.abril.com.br/economia/iea-projeta-maior-crescimento-de-energias-renovaveis-no-mundo/

https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2016/10/energias-renovaveis-representarao-em-2021-28-da-producao-mundial-de-eletricidade/30562

https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2016/10/estudo-mostra-que-brics-precisam-de-us-177-bi-por-ano-para-cumprir-metas-de-energia-renovavel/30521

Compartilhe: