Área do Cliente

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, sinalizou que o governo está analisando maneiras de estimular a geração de energia solar no país. Ele apontou o setor de geração fotovoltaico como fundamental para a matriz energética brasileira, durante a abertura da Brasil Solar Power, realizada na última semana, no Rio de Janeiro.

Uma das possibilidades levantadas pelo ministro foi a expansão da geração solar distribuída, inclusive a micro e mini geração, feita pelo consumidor por meio de sistemas solares fotovoltaicos próprios, dedicados a suprir a demanda de uma casa ou indústria.

Fernando Coelho Filho informou que o MME já está conversando com o Ministério das Cidades sobre a possibilidade de disponibilizar o FGTS para financiamento dessa modalidade.

O governo do Estado da Paraíba também irá discutir nesta semana, junto ao BNB (Banco do Nordeste), ações para implementação do acordo de cooperação para utilização de energia solar na agricultura, como por exemplo em sistemas de irrigação com energia fotovoltaica. Esse programa tem potencial para injetar R$ 50 milhões no crescimento da agricultura familiar em cinco anos.

Fábricas de painéis solares

Uma fabricante canadense de painéis solares fotovoltaicos anunciou que irá instalar uma unidade fabril em Sorocaba, no interior de São Paulo. Com investimento maio que R$2 bi, a expectativa é de gerar 400 empregos diretos e outros 1.500 indiretos. A produção da fábrica em placas fotovoltaicas será equivalente a potência de geração de 350 megawatts ao ano. O início das operações está programado para setembro.

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) prevê mais três fabricantes de painéis fotovoltaicos até o final de 2016. Dois desses investidores deverão ser chineses e outro, uma grande empresa brasileira, que iria importar a tecnologia. Os geradores que utilizarem as placas fabricadas no país terão acesso a financiamentos com juros mais baixos.

Somente esses três fornecedores já somariam um gigawatt de capacidade anual de produção de energia. Isso representa, aproximadamente, o total contratado em cada um dos leilões de energia solar já realizados.

O investimento de grandes fabricantes no Brasil traz segurança para o setor de energia fotovoltaica no país. Isso significa que estamos nos preparando para suprir a demanda dos projetos aprovados nos leilões e de geração distribuída.

A expectativa é que as fábricas comecem a operar já no segundo semestre deste ano. Segundo gerente do departamento de fontes alternativas de energia do BNDES Marcos Cardoso, fabricantes de inversores solares já fornecem o produto localmente, como a GE, ABB e a WEG. O BNDES exigirá, até o final de 2017, um índice de conteúdo nacional nas usinas solares. Entretanto, quanto maior a utilização, as empresas poderão contar com um financiamento maior.

 

Fontes:

http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2016/07/governo-estuda-impulsionar-a-geracao-de-energia-solar

http://paraibaonline.net.br/governo-e-bnb-discutem-acoes-para-utilizacao-de-energia-solar-na-agricultura/

https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2016/07/canadian-solar-abrira-unidade-fabril-de-paineis-solares-em-sao-paulo/29549

http://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2016/03/epoca-negocios-bndes-preve-mais-3-fabricantes-de-paineis-solares-no-brasil-ate-o-final-do-ano.html

http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/708482/empresa-vai-gerar-400-empregos-em-sorocaba

Fonte da imagem:

http://www.abrapch.org.br/noticias/693/fernando-bezerra-filho-psb-e-ministro-de-minas-e-energia

Compartilhe: