Área do Cliente

A geração distribuída de energia solar fotovoltaica deve continuar a ter um crescimento forte no Brasil nos próximos anos. Isso é o que projeta o presidente da distribuidora de equipamentos fotovoltaicos Aldo Solar, Aldo Pereira Teixeira, em entrevista ao site PV Magazine, na qual afirmou que a geração distribuída de fonte solar é muito promissora no País, e que o Brasil está apenas iniciando seu processo no segmento. A previsão da distribuidora é de 9 gigawatts (GW) de capacidade instalada nos próximos dois anos.

O setor de geração de energia solar de mini e microgeração deve registrar crescimento de no mínimo 4 GW – cerca de 360 mil novas unidades consumidoras – neste ano. E para 2022, a projeção da distribuidora de equipamentos fotovoltaicos é de mais 5 GW de capacidade instalada adicionados, com outros 400 mil sistemas fotovoltaicos de geração distribuída instalados em todo o território nacional. Teixeira afirma que há muito espaço para crescer no segmento de geração distribuída, uma vez que o Brasil tem 89 milhões de unidades consumidoras e somente 360 mil sistemas fotovoltaicos conectados à rede.

O setor foi um dos poucos que registram crescimento em 2020 e, segundo ele, a pandemia impôs uma queda acentuada no mercado interno somente entre os meses de abril e maio. A boa notícia é que os números mostram que o mercado já se recuperou, atingindo as mesmas marcas do ano anterior. A estimativa da companhia é de crescimento em 50% no fornecimento de equipamentos para geração de energia solar fotovoltaica, principalmente para o setor de geração distribuída.

Painéis solares

Com o corte no imposto de importação incidido sobre os painéis solares, Teixeira disse que a medida permitiu manter um breakeven, uma espécie de ponto de equilíbrio nos preços para investimentos entre 40 ou 45 meses. Outra estimativa é que o mercado brasileiro terá em breve participação majoritária (70%) dos painéis PERC monocristalinos, com proporcional redução dos modelos policristalinos.

O financiamento de empreendimentos de geração de energia solar foi outro ponto abordado durante a entrevista. “Trata-se da menor taxa [Selic a 2% ao ano] das últimas décadas,” comentou Teixeira. “Com juros mais baixos como os praticados neste momento, o sistema financeiro brasileiro favorece que os financiamentos fiquem mais acessíveis para os projetos residenciais e comerciais”. Dessa forma, segundo ele, as condições são muito vantajosas e garantem ainda mais desenvolvimento para o setor.

Geração distribuída

De acordo com informações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil registra 368.662 unidades consumidoras com sistemas fotovoltaicos de geração de eletricidade solar. Essas conexões fotovoltaicas geram créditos para abatimento nas contas de luz em 458.353 unidades consumidoras. A potência instalada total dos sistemas de mini e microgeração distribuída de fonte solar é superior a 4,4 GW, sendo que a fonte é responsável por mais de 99% dos sistemas de geração distribuída no Brasil.

Energia Solar Fotovoltaica SunVolt

A energia solar é o melhor investimento àqueles que buscam por alta economia nas contas de luz, valorização do imóvel e redução das emissões de carbono. E o setor de geração distribuída, na qual qualquer pessoa pode ter painéis solares instalados em telhados, fachadas e terrenos de casas, empresas ou propriedades rurais, está em ampla expansão no Brasil.

Se você deseja aproveitar todas as vantagens da energia solar e gerar a sua própria eletricidade a partir da irradiação solar para autoconsumo da sua família ou atividade profissional, entre em contato conosco da SunVolt e peça o seu orçamento de sistema fotovoltaico.

Fontes: ‘https://www.pv-magazine-latam.com/brasil-noticias/brasil-pode-instalar-9-gw-de-energia-solar-distribuida-nos-proximos-dois-anos/’

‘https://www.aldo.com.br/blog/lideranca-da-aldo-e-destaque-na-pv-magazine/’

‘http://www2.aneel.gov.br/scg/gd/GD_Fonte.asp’

Fonte da imagem: ‘https://unsplash.com/photos/dqI88MKAw9g’

Compartilhe: