Área do Cliente

A energia solar fotovoltaica e eólica estão recebendo duas vezes mais financiamentos do que os combustíveis fósseis em todo o mundo. Essa informação foi divulgada pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF) e revela que as energias renováveis, principalmente a solar fotovoltaica, apresentaram queda nos preços, tornando-se opções de investimento mais baratas para gerar energia elétrica em várias regiões do mundo. Com a produção de petróleo e gás natural aproximando-se do pico, as alternativas sustentáveis de geração de energia se apresentam como o futuro por meio dos novos veículos elétricos e sistemas de mini e microgeração de energia distribuída em residências.

A queda nos custos está sendo determinante para o avanço da energia solar fotovoltaica e da energia eólica. Os subsídios governamentais têm sido uma alternativa para incentivar a adoção dessas formas de geração de energia renovável e ganhar presença no setor elétrico. Entretanto, as formas não subsidiadas das renováveis já se mostram competitivas e muitas vezes ganham a concorrência contra o carvão e gás natural, dessa forma, recebendo mais atenção das instituições de crédito para linhas de financiamento.

Nos Estados Unidos, por exemplo, vários estados estão despontando como grandes investidores em energia limpa. O progresso da energia solar fotovoltaica e eólica é tamanho que as operadoras de rede do estado da Califórnia estão enfrentando o desafio de regular as oscilações das energias renováveis de alta densidade, e o estado de Nova Iorque registrou aumento de aproximadamente 800% no uso de energia solar em sua matriz energética apenas no ano passado.

Outro fator determinante para o aumento dos financiamentos é a geração de renda e emprego a partir das fontes renováveis. Com equipamentos de mineração maiores e mais eficientes, os empregos na indústria de carvão estão cada vez mais escassos nos EUA. Enquanto isso, a indústria solar gera cada vez mais postos de trabalho e, atualmente, já emprega mais trabalhadores do que a indústria do carvão em todo território norte-americano.

China

Os investimentos em energia solar na China continuam a crescer. O país adicionou 7,21 gigawatts (GW) de capacidade instalada solar somente nos três primeiros meses deste ano e gerou 21,4 bilhões de quilowatts-hora (KWh) de eletricidade nesse período, um aumento de 80% em relação ao mesmo trimestre de 2016. A informação foi divulgada por meio de comunicado da Administração Nacional de Energia da China.

Do total adicionado, 4,78 GW representam projetos de utilidade pública e 2,43 GW de energia solar distribuída, por meio de mini e microgeração. O setor de geração distribuída é uma prioridade para o governo central chinês, que comemora o crescimento de 151% na modalidade em relação ao ano anterior. A capacidade solar fotovoltaica acumulada na China chegou a quase 85 GW.

Fontes: ‘https://www.bloomberg.com.br/blog/revolucao-da-energia-barata-chegou-e-o-carvao-esta-de-fora/’

‘https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2017/05/energia-eolica-e-solar-recebem-duas-vezes-mais-financiamento-que-combustiveis-fosseis/31595’

‘https://www.pv-magazine.com/2017/05/05/china-installs-7-2-gw-of-solar-in-q1/’

‘https://cleantechnica.com/2017/05/05/china-installed-7-21-gw-solar-q117/’

Fonte da imagem: ‘http://digitallearning.eletsonline.com/wp-content/uploads/2016/11/IIT-Delhi-1000x600.jpg’

Compartilhe: