Área do Cliente

Um grupo de cientistas do Gwangiu Institute of Science and Technology da Coréia do Sul desenvolveu células solares fotovoltaicas que possuem apenas um micrômetro de espessura, o que seria cerca de um quarto da espessura de outras células solares que já se destacam por serem finas, e centenas de vezes menor do que as células convencionais de painéis solares.

Essa tecnologia tem potencial para levar a energia solar fotovoltaica para outro patamar. Por serem flexíveis e extremamente finas, as células poderão ser usadas em dispositivos portáteis, por exemplo, devido ao espaço limitado. As células são fabricadas dentro de um substrato flexível que, para efeito de comparação, são muito mais finas até do que um cabelo humano, que varia de 10 a 200 micrômetros.

Os pesquisadores conseguiram reduzir a espessura ao anexar diretamente as células no substrato sem utilizar um adesivo. Primeiro elas foram estampadas sobre o substrato e depois soldadas em um processo que liga dois matérias por meio de pressão, diferentemente daqueles que utilizam o calor para fundir os objetos.

Foi publicado neste mês um artigo no Applied Physics Letters, um jornal científico da American Institute of Physics, descrevendo todo o trabalho de inovação tecnológica do grupo sul coreano.

Flexibilidade

Às vezes já é difícil de enxergar um fio de cabelo, dependendo da espessura e coloração. Agora, imagine um material que consegue ser diversas vezes menor. Essa característica das células fotovoltaicas desenvolvidas pelos sul coreanos ajudou a transformar o material em algo extremamente flexível.

Durante testes, os cientistas perceberam que as células conseguiam ser dobradas, sem quebrar, em torno de raios de 1,4 milímetros de diâmetro. Para comparação, um lápis possui, em média, cinco milímetros de diâmetro. Para tal, os pesquisadores utilizaram arsenieto de gálio. Esse composto químico sintético é mais eficiente na absorção da radiação solar do que o silício, material amplamente utilizado nos sistemas fotovoltaicos ao redor do mundo.

Nova era

Painéis solares fotovoltaicos já são realidade em todo o mundo e garantem energia limpa renovável para a utilização do consumidor, seja em micro geração ou em usinas de energia solar.

A nova tecnologia já é um recorde mundial e mostra a capacidade do mercado fotovoltaico de inovar e superar quaisquer expectativas de crescimento. Os novos rumos serão a implantação da tecnologia em novas superfícies e objetos, como pulseiras fitness, óculos, smartphones, entre outros. Diante de descobertas como esta, uma nova era para o mercado de energia solar fotovoltaica pode estar por vir.

Fontes:

http://idgnow.com.br/mobilidade/2016/06/20/cientistas-criam-celulas-solares-finissimas-que-poderao-alimentar-smartphones/

http://www.gazetadopovo.com.br/economia/energia-e-sustentabilidade/coreanos-criam-celula-solar-mais-fina-que-fio-de-cabelo-amvs8vi4aio8b4u4ab06hjxsc

http://agenciabrasil.ebc.com.br/pesquisa-e-inovacao/noticia/2016-06/especialistas-apresentam-tecnologias-que-vao-mudar-o-mundo-em

Fonte da imagem:

http://www.eletimes.com/technology-news/ultra-thin-flexible-solar-cells-to-power-wearable-electronics/

Compartilhe: