Área do Cliente

Apesar de ser um dos maiores poluidores do planeta, a China deu mais um passo rumo a uma economia mais verde. O governo chinês anunciou a inauguração da maior usina solar fotovoltaica flutuante do mundo em Huainan, província de Anhui, local conhecido pelo terreno rico em carvão mineral. A usina solar flutuante tem capacidade instalada de 40 megawatts (MW), a maior nessa categoria. O lago onde foram instaladas as placas solares sobre flutuadores fica localizado em uma área de mineração inundada devido às chuvas, com profundidade de quatro a dez metros.

A central solar foi construída pela fabricante chinesa de equipamentos fotovoltaicos Sungrow Power Supply Co. que desenvolve materiais personalizados e soluções completas para permitir o bom funcionamento dos sistemas em ambientes com alta umidade e sal. Para o portal de notícias PV Magazine, o presidente da empresa, Renxian Cao, afirmou que a companhia busca sempre introduzir novas tecnologias em seus produtos para continuar a oferecer equipamentos para instalações fotovoltaicas em todo o mundo. No ano passado, um sistema flutuante de geração de energia solar fotovoltaica de 20 MW na mesma região também entrou em operação.

Plantas solares sobre lagos ou reservatórios estão se tornando cada vez mais comuns em todo o mundo. Ao diminuir a área de incidência de radiação solar na água, em virtude dos flutuadores da usina, há a redução do processo natural de evaporação, consequentemente, a água também auxilia na manutenção da temperatura dos painéis solares, mantendo o ar mais frio na superfície, o que ajuda a aumentar a eficiência das placas e limita a degradação dos materiais a longo prazo. Além disso, o aproveitamento de lagos e reservatórios ao invés do alto investimento em grandes áreas garante economia e rapidez no processo de implantação das usinas solares.

Para comparação, a China possui mais de 100 cidades com população superior a 1 milhão de habitantes, ou seja, o país possui alta densidade populacional nas suas maiores cidades, o que dificulta a desocupação de grandes áreas para implantação de usinas, tornando as usinas solares flutuantes uma alternativa mais viável para geração de energia limpa e sustentável.

A China tornou-se a maior geradora de energia solar do mundo, com investimentos superiores aos realizados pelos Estados Unidos, atingindo capacidade solar instalada de cerca de 77 gigawatts (GW). O planejamento chinês é ambicioso e projeta adicionar 110 GW até 2020, com investimentos somados na ordem de US$ 360 bilhões nos próximos anos. O objetivo do país é ter 20% da matriz energética a partir de fontes renováveis como a energia solar fotovoltaica, eólica e hidrelétrica até 2030.

Fontes: ‘https://www.pv-magazine.com/2017/05/19/floating-pv-plant-in-china-connected-with-sungrows-inverters/’

‘https://www.pv-tech.org/news/china-completes-largest-floating-solar-power-plant’

‘https://cleantechnica.com/2017/05/26/china-activates-worlds-largest-floating-solar-power-plant/’

‘http://www.indiatimes.com/technology/science-and-future/china-turned-on-the-world-s-largest-floating-solar-plant-generating-40mw-of-clean-green-energy-322684.html’

‘http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/flutua-e-vai-produzir-energia-esta-e-a-maior-central-solar-do-mundo-164648’

‘https://tecnoblog.net/215441/maior-usina-solar-flutuante/’

Fonte da imagem: ‘http://www.radioconectividad.com.ar/wp-content/uploads/2017/05/planta-solar-china-950x534.jpg’

Compartilhe: