Área do Cliente

O Banco da Amazônia (Basa) anunciou que vai financiar sistemas fotovoltaicos residenciais nos estados de Rondônia e Amapá. A nova linha de crédito para projetos de geração de energia solar fotovoltaica residencial para pessoas físicas vai disponibilizar R$ 1,820 bilhão para empréstimos e utilizará recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). Anteriormente, a linha de crédito era acessível somente para pessoa jurídica. As informações foram divulgadas pelo Governo do Estado de Rondônia.

Com juros de 5,5% ao ano, o Banco da Amazônia espera fomentar a expansão da tecnologia de geração de energia solar fotovoltaica em residências na região, seguindo a tendência nacional de alta na produção de energia elétrica através de sistemas de mini e microgeração distribuída de fonte fotovoltaica. Segundo o presidente da instituição financeira, Valdecir José dos Santos, o financiamento para energia solar é a novidade do banco para este ano. “Discutiremos convênios com os órgãos como o Tribunal de Justiça, a própria Assembleia Legislativa para que os funcionários possam utilizar esse financiamento com juros de FNO de 5,5 a 6 % ao ano. Depois iremos expandir para outros colaboradores, bem como para iniciava privada”, disse durante encontro com representantes do governo em Rondônia.

Somente para o estado do Amapá, o Banco da Amazônia vai disponibilizar R$ 120 milhões para operações de crédito a pessoas físicas que desejam ter o próprio sistema de geração de energia elétrica a partir da luz do sol em suas casas. A promessa é que as taxas de juros sejam sempre menores do que as praticadas no mercado. De acordo com o gerente regional do Banco da Amazônia, Gleidson Guimarães Salles, o serviço de crédito para compra dos equipamentos fotovoltaicos deve começar a ser oferecido ainda neste mês, e ressaltou que já há opções semelhantes em operação destinadas aos produtores e empresas rurais que buscam ter painéis solares gerando energia em suas propriedades para garantir o abastecimento energético e reduzir os custos com as tarifas de luz.

Os anúncios foram realizados durante a assinatura do Protocolo de Intenções firmado entre o governo de Rondônia e o Banco da Amazônia no dia 27 de fevereiro. Presente na reunião, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Laerte Gomes, afirmou que a ampliação do acesso à energia solar fotovoltaica para o cidadão favorece o desenvolvimento regional e valoriza a energia limpa. Já o Amapá deve aproveitar a nova linha de crédito para ampliar o número de conexões de geração distribuída no estado, uma vez que faz parte do Sistema de Compensação de Energia Elétrica há quase um ano, administrado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Energia Solar Fotovoltaica SunVolt

Novas linhas de financiamento para sistemas de geração de energia solar fotovoltaica são fundamentais para o desenvolvimento da fonte renovável no País, abrindo a possibilidade de mais pessoas poderem aproveitar as vantagens da fonte solar. Se você quer economizar nas suas contas de luz, valorizar o seu imóvel, e contribuir para a diminuição das emissões de gases poluentes na atmosfera, invista em um sistema de geração de energia solar fotovoltaica através de painéis fotovoltaico instalados no telhado da sua casa, empresa ou propriedade rural.

Entre em contato conosco da SunVolt e peça já o seu orçamento de sistema fotovoltaico.

Fontes: ‘http://www.rondonia.ro.gov.br/banco-da-amazonia-preve-investimentos-que-podem-chegar-a-r-2-bilhoes-em-rondonia-e-anuncia-financiamento-de-energia-solar/’

‘https://www.tudorondonia.com/noticias/presidente-laerte-gomes-anuncia-convenio-com-o-basa,27867.shtml’

‘https://www.pv-magazine-latam.com/brasil-noticias/banco-da-amazonia-vai-financiar-projetos-fotovoltaicos-residenciais-em-rondonia-e-amapa/’

‘http://www.rondoniadinamica.com/arquivo/banco-da-amazonia-preve-investimentos-que-podem-chegar-a-r-2-bilhoes-em-rondonia-e-anuncia-financiamento-de-energia-solar,42458.shtml’

Fonte da imagem: ‘https://pixabay.com/photos/solar-energy-solar-cells-481914/’

Compartilhe: