Área do Cliente

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu o preço máximo de US$ 51,00 por megawatt-hora (MWh) – cerca de R$ 209,00/MWh – para compra de energia solar fotovoltaica no próximo Leilão de Energia Nova A-6, previsto para o dia 18 de outubro. Além da definição do preço da energia solar, a agência também aprovou mudanças nas regras para contratação de usinas solares e eólicas. De acordo com o edital, a contratação dos empreendimentos de geração de energia renovável a partir da luz do sol e dos ventos deverão acompanhar a carga declarada pelo comprador, mês a mês.

O menor preço estabelecido para o Leilão A-6 foi da tecnologia eólica, com R$ 189,00/MWh, enquanto o maior preço ficou com os projetos termelétricos, com custo de R$ 292,00/MWh. A energia hidrelétrica, maior representante na matriz elétrica nacional, registrou valor máximo ligeiramente inferior ao da fonte térmica, com aproximadamente R$ 285,00/MWh. No último leilão com participação da matriz fotovoltaica (A-4), realizado em junho deste ano, o preço máximo da energia solar tinha sido estabelecido em R$ 276,00/MWh, todavia, o certame resultou em recorde de menor valor para geração fotovoltaica de grandes usinas, com preço de R$ 67,48/MWh.

Para o Leilão A-6, a Aneel ressaltou que somente projetos de geração hidrelétrica receberão contratos de 30 anos, enquanto as outras fontes renováveis terão direito a contratos de 20 anos de geração e abastecimento. Outra singularidade atribuída às fontes solar fotovoltaica e eólica é que as usinas, agora, serão responsáveis pelos custos da compra de energia no mercado de curto prazo quando não gerarem o que deveriam, por causa de variações na irradiação solar ou dos ventos. Anteriormente, o montante era repassado ao consumidor.

De acordo com o site Poder 360, a diretora da Aneel, Elisa Bastos, defendeu que as usinas solares e eólicas participassem de leilões sem o compromisso de entregar uma quantidade fixa de energia elétrica a cada mês. No entanto, a proposta foi rejeitada pelo colegiado da agência, por um placar de 3 a 1. A argumentação contrária afirmou não fazer sentido os empreendimentos de geração de energia solar e energia eólica ficarem isentos de uma quantidade fixa mensal de abastecimento, enquanto a norma é condição às demais fontes.

Como as fontes solares e eólicas são consideradas “intermitentes”, ou seja, a oferta de eletricidade não é estável e contínua, para manter o fornecimento será necessário recorrer a outra fonte de alimentação ou a sistemas de armazenamento por baterias. Porém, a tecnologia de armazenamento ainda não está suficientemente madura e acessível, podendo encarecer os empreendimentos e torná-los menos competitivos.

A decisão foi criticada pelo ex-diretor da Aneel Tiago Barros, que utilizou o perfil pessoal no LinkedIn para afirmar que a nova regra é “intempestiva e equivocada” e poderá resultar em custos desnecessários aos consumidores, além de relatar “perplexidade” pelo voto da diretora Elisa Bastos não ter prevalecido. Segundo Barros, a diretora possui mestrado e doutorado em teoria de leilões e experiência prática por ter atuado na Assessoria Econômica do Ministério de Minas e Energia (MME).

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) pré-selecionou 825 projetos solares para o certame, com capacidade total de geração de 29,78 gigawatts (GW). Vale ressaltar que esta será a primeira vez que a fonte solar vai participar de um leilão do tipo A-6.

Energia Solar Fotovoltaica SunVolt

A inclusão de projetos de geração de energia solar fotovoltaica no próximo Leilão A-6 é muito importante para aumentar a participação da fonte na matriz energética brasileira. Mas você sabia que pode gerar energia solar na sua própria casa, empresa ou propriedade rural? Aproveite todas as vantagens da energia solar, garanta alta economia nas suas contas de luz, valorize o seu imóvel e ainda contribua para um meio ambiente mais sustentável.

Invista em um sistema fotovoltaico. Entre em contato conosco da SunVolt e peça já o seu orçamento.

Fontes: ‘https://www.pv-magazine-latam.com/brasil-noticias/a-aneel-estabelece-preco-maximo-de-us-51-mwh-para-energia-fotovoltaica-no-leilao-a-6/’

‘https://www.opetroleo.com.br/brasil-estabelece-preco-de-teto-solar-de-us-51-mwh-no-leilao-a-6/’

‘https://www.poder360.com.br/economia/aneel-muda-regras-para-eolicas-e-solares-em-leilao-ex-diretor-critica-decisao/’

‘https://www.canalenergia.com.br/noticias/53111805/ex-diretor-da-aneel-critica-mudanca-de-regra-do-leilao-a-6’

Fonte da imagem: ‘https://www.torrestir.com/wp-content/uploads/2019/02/Setor-Energias-Renovaveis-Torrestir.png’

Compartilhe: